Cidades


Notícias



Colunistas


Notícias

ACRB firmou parcerias com entidades parceiras e recepcionou catadores com entrega de cestas básicas: S.A.JESUS

Por ANTONIO MASCARENHAS

O salão de eventos da Associação Comercial foi o local escolhido pela ACRB (Associação de Catadores e Recicladores do Recôncavo) para, na manhã dessa quinta-feira, 07, firmar parcerias com entidades parceiras e efetuar entrega de cestas básicas e trazer à baila assuntos pertinentes à coleta seletiva, dentre eles, experiências que vem dando certo nessa área, em outros municípios. A ACRB que é a única associação santantoniense em condições jurídicas e operacionais para a efetuação de parcerias público-privadas em prol do desenvolvimento de ações ligadas à preservação ambiental. 

PERSONALIDADES PRESENTES

Compondo a mesa, além de representantes da entidade, a exemplo de Dona Cleuza (presidente), Toneto e Zenilton (assessores), outras personalidades prestigiaram esse encontro, a exemplo de Dra. Renata Rocha (Juíza da 3a. Vara Cível), Dr. Julimar Barreto (promotor público do Meio Ambiente), Dras. Carina e Natália Navarro (Denfensoria Pública), Sônia Fontes (Secretária de Infraestrutura de S.A.Jesus).

Também presentes Peixe (vice-tesoureiro e responsável pelo viveiro do GANA (Grupo Ambiental Nascente), Adenilton  Silva (Fazenda Arco Verde Sustentável), Otávio Lemen (consultor da BADANE, empresa especializada em assessoria de projetos socio-ambientalista, com sede em Salvador), Marinalva Pereira (ex-secretária de Saúde de Jiquriçá), Oscar (Colégio Santo Antonio), Jorge de Zé de Beata (produtor rural e engajado nas questões ambientais), Augusto Sena (vice-presidente do VOSA - Voluntários em Ação),  catadores e representantes de segmentos da sociedade local. 

PRONUNCIAMENTOS

Em todos os pronunciamentos, realce à importância da preservação ambiental, a performance da ACRB a importância das parcerias público-privadas, a necessidade de desenvolvimento de um trabalho que tenha por escopo a conscientização da população nesse imperativo engajamento de coleta seletiva, importante para que tenhamos não apenas mais geração de emprego e renda mas, por extensão, qualidade nos alimentos, melhoria substancial na saúde e qualidade de vida e plasticidade no paisagismo.

Dr. Julimar, promotor público do Meio Ambiente, mais do que defensor, um entusiasta, foi além ao citar ações bem sucedidas em Elísio Medrado e Amargosa; reportou-se à reunião que manteve com a Iso Bahia no que concerne ao aproveitamento de isopor comercializado por catadores, assim como versou sobre agendamento de uma audiência em janeiro próximo, tendo como pano de fundo a "logística reversa" que tem no seu bojo o recolhimento de vasilhames e outros produtos que após utilizados, evitando-se, assim, a poluição ambiental. 

Dra. Renata Rocha, juíza de direito junto à 3a. Vara Cível de Santo Antonio de Jesus, abnegada, também, com relação a causa ambiental, vem acompanhando, de perto, os trabalhos da ACRB, contribuindo de todas as maneiras. Na sua fala, discorreu sobre a imperativa necessidade de agregação de valores, em busca de sustentabilidade econômica. Que essa, como outras entidades necessitam criar mecanismos e ações coordenadas em busca de concretização de intentos. Foi enfática ao dizer que, em havendo organização, ampliam-se as chances de se evitar participação danosa de atravessadores. Finalizando, elencou as parcerias até então firmadas.

Otávio Lémen, representante da BADAME, em sua fala, enfatizou que reciclagem só é viável se contar com parcerias eficientes. Destacou experiências bem-sucedidas em Jacobina, através da CAER. Lá, a prefeitura tem um projeto de coleta seletiva. Caminhões estilizados e equipados para efetuação de coleta nos "ecopontos", locais em que, também, se encontram veículos motorizados para maior agilização dos trabalhos. Foi taxativo ao dizer que coleta seletiva não se faz sem dinheiro. 

Sônia Fontes, Secretária de Infraestrutura, fazendo uso da palavra, discorreu sobre licitação que está sendo preparada em torno de um projeto de coleta seletivo moderno no município. Falou sobre como a coleta vem sendo feito no momento e que, em que pese dificuldades, dentre elas, as que requerem mais colaboração por parte da população, a coleta sendo feita a contento mas que, com a consolidação do projeto em epígrafe, a tendência é que haja melhoria substancial. 

Adenilton Francisco Silva, empresário, através da Fazenda Arco Verde, sediada em Elísio Medrado, é, insofismavelmente, um empreendedor de mão cheia e também abnegado nessa causa de preservação ambiental. Em sua fala, discorreu sobre a idéia de fabricar estacas, pisos e outros produtos a partir de dejetos (pneus, plásticos, compostagens), retirados dos lixões, contribuindo,por conseguinte, para essa bandeira preservacionista. Ele que acaba de firmar um grande contrato com empresários de Rondônia em prol da produção e comercialização desses produtos na região amazônica. 

LOGÍSTICA OPERACIONAL

Segundo José Carlos Toneto, a ACRB,em que pese dificuldades, já conseguiu um caminhão, fruto de doação do Banco do Brasil e está prestes a receber uma caminhonete por parte do MPT (Ministério Público do Trabalho) e que já está recebendo uma prensa, fruto de doação anônima,  imprescindível para o trabalho dearmazenagem e transporte dos produtos coletdos. NO que concerne à sede da isntituição, já foram construídos sanitários, refeitório, banheiro, cozinha. 

COFFE BRAKE E ENTREGA DE CESTAS BÁSICAS

Os participantes foram recepcionados com um saboroso coffe-brake. No final do evento, catadores foram contemplados por cestas básicas, fruto de doação anônima, o que demonstra uma preocupação da sociedade para com esses briosos profissionais. Adenilton Silva, da Fazenda Arco Verde, aproveitando o ensejo, procedeu apresentação de alguns dos produtos de sua fabricação. Fotos, Antonio Mascarenhas. Publicaremos entrevistas.  

 

 

 

 

 


Categorias

Agricultura - Meio Ambiente Curiosidades Empreendedorismo Eventos Recôncavo

Enquete


PodCast